terça-feira, maio 17, 2011

Na mesma moeda?



Fonte: itabiranet.com
Gostaria, sinceramente, que alguém me explicasse a dinâmica do protesto que se alastra pelo Brasil, onde grupos de motoristas se reúnem em postos de combustíveis para abastecer apenas 50 centavos e pedir a nota fiscal.

Pelo que sei, o protesto funciona assim:

1. Após uma combinação prévia, os protestantes saem de suas casas e se encontram em um determinado posto, onde solicitam que seja abastecido apenas R$ 0,50, preferencialmente no cartão de crédito, e emitida a nota fiscal.

Pronto. Só isso.

Aí é que entra minha dúvida: qual o argumento desse protesto para que empresário baixe o valor dos combustíveis?

Me colocando como advogado do diabo (ou dos empresários), penso o seguinte:

1. No trajeto casa/posto/casa a grande maioria dos protestantes gasta mais de R$ 0,50 em combustível. Ou seja, o protesto gera um consumo que não existia antes e, consequentemente, mais LUCRO para os empresários. Por tabela, ainda se transforma em um protesto anti-ecológico, pois não apenas no trajeto, mas também na fila (onde muita gente esquece de desligar ou motor ou mantém o carro ligado por causa do ar condicionado) os carros geram poluição que não faz nada bem ao meio ambiente.

2. Emitir nota fiscal é uma obrigação e não será nenhum grande prejuízo para os empresários fazê-lo, principalmente em pequenos valores.

3. Não são os empresários que ficam no posto atendendo às filas intermináveis, ouvindo o protesto (onde alguns "cidadãos" exageram nas lorotas e até no mau tratamento aos inocentes funcionários), abastecendo carro por carro e emitindo nota por nota. São os pobres dos frentistas, que já sofrem todo tipo de ameaça à saúde e à segurança e que terminam o dia de trabalho com os dedos doendo e com a cabeça quente, enquanto seus patrões ficam no conforto do escritório ou de casa.

Assim, se eu fosse dono de posto, não estaria vendo nenhuma desvantagem com a realização desses protestos. Muito pelo contrário...

Por outro lado...

Vejo outras formas muito mais eficientes de realmente pressionar os proprietários de postos de combustíveis para baixar os preços.

1. A primeira, e mais lógica, é parar - ou pelo menos diminuir - o uso dos automóveis, seja através do sistema de transporte coletivo, de caronas solidárias ou até do uso de bicicletas e de caminhadas, mesmo que em trajetos curtos (por exemplo, estacionando o carro um pouco antes de chegar ao destino, ou mais próximo da entrada do estacionamento do shopping...). Diminuir o uso do ar condicionado também ajuda. O problema é que poucos consumidores realmente se sacrificam por causas como esta.

2. Se a idéia é fazer os caras pagarem impostos, porque não colocar "fiscais" em todos os postos monitorando a emissão de notas fiscais e, caso elas não estejam sendo emitidas, denunciando aos órgãos da receita?

3. E a terceira, muito mais efetiva, é o já conhecido BOICOTE a uma bandeira, rede ou posto. Nesta modalidade, todo mundo se compromete a PARAR de abastecer, por exemplo, em uma rede específica. Por exemplo: ninguém abastece nos "Postos Silva" até o "seu Silva" baixar o preço. Passa um dia, dois dias, três dias...  ...até que o prejuízo começa a ficar muito grande e o "seu Silva" decide descumprir o acordo com o cartel e baixar o preço. Obviamente, na hora em que ele baixar o preço corre todo mundo para abastecer mais barato e aí são os outros que sentem o baque, sendo, consequentemente, obrigados a baixar também.

Esse último tipo de protesto, NÃO TEM COMO NÃO FUNCIONAR, afinal nenhum dono de posto vai se atrever a quebrar apenas para defender seus comparsas e estes, por sua vez, dificilmente irão aceitar subsidia-lo, mesmo que temporariamente.

Não sei não, mas eu sinceramente acredito que por trás desse protesto dos 50 centavos tem até empresário envolvido, pois enquanto o pessoal não cansar de gastar tempo e dinheiro eles vão lucrando ainda mais!

Mas, de qualquer maneira, continuo esperando que alguém me contradiga e explique direitinho como, de fato, o protesto dos R$ 0,50 força a diminuição dos preços. Se tiver algum exemplo real, melhor ainda!

5 comentários:

Tainá Caju disse...

Concordo que o boicote é muito mais eficaz!

gocoelho disse...

Serei breve, se mesmo após ver esses links, vc AINDA achar que esta maneira de protesto nao leva a nada. Se ainda for de seu interesse, podemos marcar uma video conferencia e debater/explicar numa boa.

Alem do alto preço do combustivel, boa parte do pais ainda enfrenta outro problema conhecido como CARTEL. Em Brasilia, eu e alguns voluntários procuramos realizar varias manifestações por estarmos ao lado do congresso.

bem, ai vai os links

http://bit.ly/ksJni6 - Sindicato diz que atribuir culpa aos postos por alta dos combustíveis é incorreto e injusto

http://bit.ly/m81VUg - Vc só vai entender essa noticia se ja tiver uma idéia minima do caminho q o combustivel percorre desde o estado petróleo até o estado combustivel chegar no posto onde vc abastece

No meu email eu tbm tenho o audio de uma reportagem da bandnews, bem explicativa, posso lhe enviar.

Vc acha que essas entre outras medidas, é puramente pq o governo achou q o combustivel estava caro? Meu amigo, n consigo argumentar com tao pouco espaço este "comentário" me proporciona.

Mas oq posso resumir é o seguinte, o protesto é simbólico e pacifico, realmente custa mais aos nossos bolso e mal trata a natureza (vc qr realmente entrar nesses mérito a discussão... o convite esta feito, posso esclarecer tudo p vc)
mas eh uma maneira q temos de demonstrar q nao esta certo do jeito q ta. Os varios manifestantes do MST fazem semelhante... só q eles ficam la de frente para o congresso, debaixo do sol, varias caravanas de todo brasil desembarcam la. Certamente é mais barato eles ficarem onde estão esperando solução no seu ponto de vista. O posto de combustivel fica sem cliente por algumas horas e isso nao é bom para ele. Sem falar de quando alguem solicita teste de combustivel.

Com todo respeito, vcs esta um tanto desinformado para querer escrever sobre tal tema. Lhe convidaria até a apagar a postagem... mas vc q sabe, n tiro seu direito de liberdade de expressão.

Aqui tem videos e reportagens de 2protestos q ocorreram no DF (de onde vc é?)http://bit.ly/jXvs0E

gocoelho disse...

Eu acho mais facil os postos de gasolina resolverem entre sí paralizarem os abastecimentos (q seja para um dia) como protesto contra o governo (ja que o problema nao é deles por esses valores praticados) ... mas brasileiro nenhum vai conseguir mobilizar um grupo para boicotar o abastecimento, e mesmo q consiga q 150carros faça isso... (é o volume de carros q conseguimos em protestos) ninguem vai perceber esta paralisação... nao vai atingir ninguem a nao ser os próprios manifestantes!

Enfim, seu tipo de "idéia" me desmotiva a tentar promover protestos, pois ja é dificil conseguir pessoas de atitude q tenham o compromisso de comparecer e perder mais ou menos 3h do dia para participar de carreatas, queimar a propria buzina, ficar numa fica por mais de 1h para abastecer 50centavos...

Felizmente tem a parte legal nisso tudo. Entre fazer novas amizades e saber mais como funciona tudo isso e as coisas nesse pais.

Pq vc n investe o seu tempo escrevendo sobre o quanto seria MEGA LEGAL q o kit gay fosse distribuido? ou se a tal lei que define como crime ofender alguem de homossexual assim como atualmente é crime ofender alguem de negro... se vc n começar a se informar melhor, vai perder a change de defender o seu heterossexualismo.

Enfim, se quiser, meu email é gocoelho@gmail.com

amplexos

Emerson Saraiva disse...

O que eu - SINCERAMENTE - não entendo é um protesto que já vem sendo realizado há um bom tempo e até agora não tem UMA notícia de UMA cidade onde houve o efeito pretendido, que é a DIMINUIÇÃO do preço!

Os donos de postos reclamam, dizem que a culpa não é deles, ameaçam "greve"... ...mas continuam cobrando o que querem.

Reafirmo o texto: estamos gastando MAIS combustível, dando MAIS lucro aos donos de postos, poluindo MAIS o meio ambiente, desgastando MAIS os nossos carros, criando MAIS congestionamentos, dando MAIS trabalho a frentistas que não têm NADA a ver com o problema e, ao mesmo tempo em que perdemos o NOSSO tempo em filas criadas por nós mesmos (como se não bastassem as que nos impõem), damos mais tempo aos cartéis até para se organizarem mais e desenvolverem outras estratégias para nos achacarem.
Uma coisa em GARANTO: UMA SEMANA de boicote e a gente consegue que um posto ou rede BAIXE os preços. De maneira pacífica e sem quaisquer efeitos colaterais. Ou será que isso é contra o "movimento"?

Terei o maior prazer em debater com os organizadores do #namesmamoedaCG, desde que haja um compromisso de, a partir de argumentos e provas, estudar a possibilidade de colocar em prática estratégias mais EFETIVAS.

Lenildo Ferreira disse...

Eu já achava sem nenhum sentido esse "protesto", e concordo com o artigo de Emerson. Agora, depois de ler a lorota (com todo o respeito) desse rapaz, misturando alhos com bugalhos, chamando o camarada de desinformado mesmo sem ter argumentos sensatos e, por fim, querendo aconselhar a defender baboseiras como kit gay e lei da mordaça, fica evidente que esse "protesto" é só modismo.