quarta-feira, maio 22, 2013

PREVISÃO DO FUTURO




Acho que aprendi a fazer previsão do futuro.


Todo dia vejo:

- Pessoas divulgando uma nova maneira super inovadora de ganhar muito dinheiro com pouco ou nenhum trabalho, um tal de "marketing multinível", ou ficar em casa lendo e-mails e clicando em anúncios, mas que daqui a algum tempo, quando saírem as notícias de que era apenas mais uma pirâmide ou um método antiético de faturar com publicidade online, ficarão bem caladinhos, mortos de vergonha de sua "ingenuidade", torcendo pra ninguém lembrar que eles faziam parte e falavam maravilhas do método revolucionário (usado há séculos para enganar trouxas de todos os tipos).

- Pessoas solicitando que mudemos as nossas configurações do Facebook porque descobriram um plano mirabolante de Mark Zuckerberg para invadir nossas informações e utilizar os dados que nós mesmos fornecemos para desenvolver uma forma maquiavélica de nos controlar e nos deixar viciados em sua rede social e nos produtos que ele anuncia, como se ele não já fizesse isso há muito tempo e como se não soubessem que a única forma de proteger nossas informações é NÃO FORNECE-LAS.

- Pessoas reclamando do trabalho e da vida, mas que logo em seguida colocam uma foto de alguém com problemas muito maiores - na maioria das vezes deficiências físicas ou doenças - e condenam quem reclama de sua vida quase perfeita.

- Pessoas usando o nome de Deus absolutamente em vão, como se demonstrar sua religião nas redes sociais fizesse com que quem realmente lhes conhecem e a si mesmos esqueceram do quanto estão distantes dos ensinamentos cristãos.

- Pessoas que acreditam que apagar as besteiras que fizeram no passado é posar de bonzinho e divulgar o máximo de mensagens religiosas na internet, sempre pedindo - quase exigindo - para que quem realmente acredita em Deus curta ou compartilhe (quem não fizer isso provavelmente irá para o inferno) e acreditando que a mudança tão exigida na igreja é apenas divulgar "a mensagem" no "Face" e que o resto todo pode ficar como está.

- Pessoas que condenam as religiões como se elas - as religiões - tivessem sido criadas e fossem "pessoalmente" administradas por Deus - NÃO FORAM, NÃO SÃO! - e declarando-se incrédulos ou ateus, mas que na hora do primeiro aperreio gritam "Ai meu Deus" e correm para a primeira igreja para fazer as promessas mais estapafúrdias.

- Pessoas exaltando o amor e declarando amor eterno e incondicional, mas que daqui a algum tempo estarão colocando fotos com indiretas sobre como não se deve dedicar a vida a um relacionamento e como é bom viver sozinho e curtir a vida.

- O contrário do anterior.

- Pessoas que condenam tudo isso, mas que em um momento ou outro fazem a mesma coisa... ;-)

Nenhum comentário: