domingo, abril 15, 2012

O Prefeito é o REAL



Eleição Garantida!

Na contramão de outras regiões do país, Campina Grande começa as discussões de bastidores sobre as eleições municipais deste ano revelando atitudes que demonstram que ainda estamos muito distantes do que poderia ser chamado de processo democrático.

Com várias candidaturas a serem lançadas e vários pré-candidatos tentando se viabilizar em vários aspectos – político, operacional, financeiro etc. – o período é de muitas conversas de bastidores e consultas, estas principalmente na forma de pesquisas para consumo interno, patrocinadas por partidos e candidatos que desejam auferir permanentemente a temperatura da cidade em relação ao pleito.

Diferente de campanhas passadas, quando alguns candidatos logravam êxito apenas na base do feeling, desta vez a ciência dos números está por trás de muitas posturas, atitudes e decisões dos pré-candidatos e das principais lideranças da cidade.

Todos os esquemas políticos mais organizados de Campina estão mantendo atualizada uma agenda de pesquisas quantitativas e qualitativas - a maioria, mensal - que norteiam desde já os passos de seus candidatos e as negociações com os partidos de sua base, com os apoiadores de campanha e até com a mídia.

Mas se engana quem acha que essas pesquisas têm servido apenas para verificar as potencialidades e defeitos dos candidatos e a percepção da população a seu respeito. Elas têm ultrapassado, e muito, a esfera dos assuntos diretamente ligados à eleição e, em alguns casos, permeiam assuntos que jamais deveriam ser abordados nesse tipo de consulta, do ponto de vista ético.

Mas ética não é das coisas mais praticadas em processos eleitorais, nem aqui e nem em lugar nenhum, faz muito tempo.

Para se ter uma ideia, além das informações específicas em relação a candidatos, partidos e lideranças, alguns contratantes estão solicitando às empresas de pesquisas dados atualizados sobre a real audiência dos veículos de comunicação de Campina, o que não é anormal, mas não deixa de ser interessante, já que a pré-candidatos não é permitido investir, pelo menos oficialmente, em mídia comercial.

Mas o que me deixou impressionado nesses últimos dias foi saber de dois itens incluídos entre o rol de informações a serem captadas em duas pesquisas de consumo interno realizadas recentemente em Campina Grande.

Uma, qualitativa, procurou analisar em seus grupos de estudo o impacto da divulgação na mídia (principalmente nas redes sociais, mas, também, em veículos de massa simpáticos à causa) de imagens onde determinados atores políticos ligados diretamente ao processo sucessório municipal aparecem em situação constrangedora no tocante à sua situação matrimonial oficial. Os pesquisadores perguntaram aos pesquisados o que eles achavam que aconteceria se essas imagens fossem divulgadas nas mídias sociais e na TV. Duas coisas interessantes devem ser destacadas: a primeira, que os pesquisadores afirmaram que as imagens existem, mas não as mostraram aos entrevistados; a segunda, que a grande maioria dos entrevistados disse já saber da situação que possivelmente teria sido captada por uma câmera indiscreta. O resultado, em linhas gerais, dessa parte da pesquisa, é que a situação é majoritariamente conhecida da população, mas que a divulgação das imagens seria extremamente prejudicial ao projeto político dos envolvidos. A dúvida que fica dessa história e se essa carta realmente existe na manga de alguém e se já pode estar sendo usado ou está guardada para um momento mais à frente, não se sabe em que contexto.

A segunda pesquisa, quantitativa, incluiu em seu questionário, textualmente, as seguintes perguntas:

- Você aceitaria "vender" seu voto nessa eleição? (sim / não).

- Por quanto você venderia seu voto para prefeito? (R$ 25,00 / R$ 50,00 / R$ 70,00 / R$ 100,00)

No caso desta última questão, o resultado da pesquisa é assustador.

Me permito não citar o número específico ao qual tive acesso, mas, para se ter uma ideia, a “preço” de hoje, baseado nas pesquisas divulgadas recentemente sobre a sucessão, o futuro Prefeito de Campina Grande é o REAL!

Nenhum comentário: