terça-feira, janeiro 17, 2012

Campina sai na frente de novo



Faltando pouco menos de nove meses para o primeiro turno das eleições 2012, o processo gestacional do pleito encontra-se em estado adiantado na capital política da Paraíba. 

Enquanto a capital administrativa vive dias de grande instabilidade em todas as correntes políticas, Campina Grande já conta com pelo menos cinco candidaturas “aparentemente” consolidadas. Explico o “aparentemente”. Em primeiro lugar porque temos muito prefeito pra pouco vice. Não se sabe se alguns candidatos à cabeça da chapa cairão de posto através das tradicionais composições ou se alguns partidos rifarão seus pretensos candidatos priorizando a chapa proporcional. O fato é que Daniela, Guilherme, Marlene, Romero e Tatiana estão, segundo os seus partidos e principais apoiadores, confirmados na disputa. Ainda teremos o PSOL (que venha David outra vez!), que não foge à luta; o professor Washington, que o PV afirma que vai bancar; e o empresário José Arthur “Bolinha”, do PTB, que também era candidato certo na eleição passada e terminou satisfeito com a coordenação da campanha de Rômulo Gouveia.

Se tivesse que apostar em quais candidaturas realmente deverão se consolidar, apostaria apenas em Daniella e Marlene. Dos demais, Tatiana está com o prego batido pelo prefeito, mas o senador ainda não virou a ponta. No caso dos dois restantes, sinais de fumaça apontam no horizonte possibilidades de mudança.

E o horizonte no qual esses sinais podem ser vistos é a internet. Na falta de um único site jornalístico confiável e isento em todo o estado, o jeito é “ler” as entrelinhas das notícias e as timelines dos perfis das redes sociais.

No caso das notícias, destaco uma na qual o prefeitável Guilherme Almeida “ameaça” apoiar Daniella no segundo turno. Inobstante ser a mais burra das estratégias um candidato assumir que não irá ao segundo turno com nove meses de antecedência, há um claro sinal de chantagem no ar. Se é para conseguir ser o “segundo piloto” da equipe ou o “co-piloto” da nave, não sei precisar, mas que tem um recado encriptado na mensagem, isso tem.

E nas redes sociais, outros sinais são visíveis. Na candidatura oposicionista, estranhei esta semana ver divulgação de um artigo no qual o vereador João Dantas “defendia” a candidatura de Romero Rodrigues. Mas candidatura consolidada precisa ser “defendida”? Para completar, ainda hoje vi uma tuitada de alguém dizendo que o candidato tinha que ser Rômulo Gouveia. Quando olho melhor, percebo que o texto havia sido retuitado pelo próprio vice-governador, que já declarou o seu apoio a Romero. Estranho. Muito estranho.

O outro caso que me chamou a atenção no twitter foi o fato da candidata Daniella Ribeiro, que tem hoje, de longe, a pré-campanha mais bem estruturada (seja no mundo real, seja no virtual) da cidade, ao fazer comentários “ao vivo” sobre a entrevista da médica Tatiana no programa de Luís Torres, receber um efusivo elogio de uma das mais importantes e influentes dirigentes petistas na cidade, a professora Socorro Ramalho, confirmando a suspeita que um passarinho me contou de que o senador provavelmente vai deixar o prego sem virar, preferindo colocar uma tachinha que leva sob sua asa na chapa da filha de Enivaldo.

Se não for nada disso, no mínimo o que estamos vendo são sinais de falta de  preparo, planejamento, coordenação e sincronia nas ações de alguns candidatos nos meios de comunicação jornalística e social. Será que ainda pensam que a campanha só começa realmente em julho?



E viva as mídias sociais!

Nenhum comentário: