terça-feira, fevereiro 28, 2012

Assim é Garapa!



A seguinte frase foi proferida em tom de bravata pelo governador durante o programa Conexão Arapuan da última segunda-feira: “EU QUERO VER QUAL É O ESTADO QUE TEM 500 MILHÕES PARA FAZER LICITAÇÃO!” 

Ao ouvir a frase, sinceramente, me deu um orgulho danado.

Pensei, e até comentei com Peleta, nosso cachorrinho de estimação, que tentava resistir ao sono para assistir ao bate papo do governador: Tá vendo peleta? Agora a gente vive em um estado rico!

São Paulo? Santa Catarina? Rio Grande do Sul? Alemanha? Suiça? China? Que nada!

O mundo conheceu finalmente sua nova potência econômica. Aqui mesmo, entre o paupérrimo Rio Grande do Norte e o miserável Pernambuco, repousa, no extremo oriente brasileiro (ouço rufar de tambores...) a RICA E PODEROSA PARAÍBA!

Pois é, meus caros concidadãos, o tempo das vacas e cabras magras acabou!

Pelas mãos de um homem notável, dotado de uma inteligência extraordinária, a Paraíba finalmente deu o tão propalado “grande salto”. Em apenas um ano e pouco menos de dois meses o nosso magnânimo governante conseguiu nos levar do inferno ao céu, da pobreza extrema à riqueza absoluta, do caos ao cosmos!

500 milhões!

500 milhões, minha gente!

500 milhões, Geraldo Alckmin! Nós temos, você não tem!

Dilma, esqueça a Paraíba! Vá cuidar dos que realmente precisam! Pegue o que era pra ser nosso e mande para a África! A Paraíba precisa ajudar nossos irmãos do Haiti, afinal o Haiti não é mais aqui. Agora estamos muito mais para Havaí. Que Havaí nada! Monte Carlo é o que somos, afinal, além de nossa riqueza, também temos um sistema de governo com reis, príncipes e princesas. Sapos, nunca mais!

A Paraíba tem mais dinheiro do que 250 vencedores do BBB juntos! Tem noção do que é isso?

Foi um dia histórico o 27 de fevereiro de 2012. Acordamos pobres e fomos dormir ricaços de tudo!

E Campina é que deve estar rica mesmo, pois desse dinheiro todo apenas 10 milhões serão investidos na Rainha da Borborema. João Pessoa foi quem lavou a égua! 100 milhões!

Mas (história de lascado sempre tem um mas, né?)...

Primeira grande questão: onde será investido essa dinheirama toda?

Vejamos. Segundo o Governo do Estado, parte da grana irá para esgotamento sanitário. Quanta nobreza! Algum governante do passado sempre dizia que investir em rede de esgotos era coisa de governo corajoso, pois, ao invés de obras grandiosas, os canos ficam enterrados e as pessoas não veem o benefício que recebem. Eu sempre pensei em outro aspecto. Como as obras ficam enterradas é muito mais difícil fiscalizar se o que está ali embaixo da terra é mesmo o que consta do contrato anunciado, tanto em quantidade quanto em qualidade. Quando as chuvas vêm é que a gente vê se o problema foi resolvido ou não.

Outra área a ser beneficiada: pavimentação. Ótimo! Mais uma área que gera muitos benefícios para muita gente e que os especialistas apontam como uma das preferidas por governantes que gostam de fazer um bom caixa para a campanha, afinal nunca vi ninguém medindo se determinada rua tem mesmo aqueles metros dispostos no contrato ou se o asfalto aplicado tem a espessura indicada. O que vemos muito é rua calçada pela metade e asfalto se acabando antes da obra terminar.

Ah, um parêntese! No mesmo programa o governador lançou um novo tipo de obra que está trazendo para a Paraíba. É o tal "micro revestimento asfáltico". Acho que você já entendeu do que realmente se trata, não é? Eu já passei a chamar, carinhosamente, de "naigadinha asfáltica". Só uma naigadinha...

Voltando ao assunto...

E o que mais será feito com os 500 milhões? Ginásios, prédios de escolas técnicas e até reformas de estádios. Tudo obra grande, com empreiteira tomando conta e uma dificuldade danada para a população verificar se o que foi feito vale mesmo aquilo que foi investido.

Se fosse ano de eleição estadual eu ia jurar que esse monte de obra ia ter um “bônus” muito especial: a campanha eleitoral mais “estourada” de todos os tempos. Mas como a eleição é municipal e o governador não tem interesse nenhum na disputa, podemos ficar tranquilos, não é?

Mas ainda tem a segunda grande questão: de onde vem esse dinheiro todo?

Sim, porque, que eu me lembre, o Estado continua com sérios problemas para manter a máquina funcionando em diversas áreas. Nossas cadeias e presídios continuam caindo aos pedaços, ainda temos muitas escolas em situação crítica, a zona rural continua esquecida em diversos aspectos e a cultura até agora não conseguiu emplacar nenhum projeto importante de incentivo aos artistas locais.

Será que o Governo vai dar esse dinheiro todo para essas empreiteiras todas cortando recursos de áreas que estão no sacrifício há mais de um ano?

De todas eu não sei, mas de uma eu tenho certeza.

Já sabe qual é, né?

Da UEPB!

Uma grande amiga fez as contas pra mim e eu fiquei impressionado. Sabe quanto só da UEPB tem nesse derrame de obras do governo? Faça as contas comigo: 40 milhões que ficou de débito do governo anterior e que o governo atual se comprometeu a pagar + 100 milhões que o governo deu o “migué” na reitoria em 2011 e prometeu pagar no início desse ano + 120 milhões, pelo menos, que o governo planeja dar de calote em 2012. 

Somou? É isso mesmo: dá “somente” 280 milhões de reais.

Mais da metade!

Mais uma coisa para o governo alardear aos quatro cantos: é o melhor do mundo em fazer caridade com o chapéu alheio.

Assim é Garapa!

Se pelo menos usasse o dinheiro pra investir em áreas nas quais a Paraíba está fazendo vergonha, mas não!

O governo vai é pegar grande parte desse dinheiro de uma instituição que está indo muito bem, crescendo e se desenvolvendo a olhos vistos, orgulhando todos os paraibanos, valorizando seus alunos e profissionais, elevando o nome do Estado em todo o mundo e investindo em ciência, cidadania e cultura para gastar em obras que poderiam ser feitas em parceria com o governo federal, com bancos de desenvolvimento nacionais e estrangeiros ou em parcerias público-privadas.

O problema é que para que estas obras fossem feitas por esses outros meios a pisada do bombo seria diferente. Projetos deveriam ser muito mais detalhados e passariam por filtros muito mais exigentes. A fiscalização do uso dos recursos seria muito mais minuciosa e a qualidade das obras teria que ter níveis muito superiores.

Bem diferente de pegar o dinheiro, licitar e gastar sem maiores problemas.

E lá se foi o meu sonho de finalmente morar em um estado rico, sem problemas de segurança, com excelentes serviços de saúde, funcionalismo dignamente remunerado e com perfeitas condições de trabalho, moradia e, principalmente, Educação.

Aquela frase deveria era ter me causado preocupação.

Mas pelo menos algo de bom a entrevista do governador conseguiu: fez Peletinha dormir igual a um boi.

Um comentário:

Lucia Couto disse...

Peletinha você é minha heroína. Dorme bem !!!!